1 2 3 4

10 coisas para não se fazer no Japão

0 comentários
Oi, gente! Tudo bom com vocês? Resolvi dar uma breve passada pra trazer uma postagem super interessante. Vocês já pararam para se perguntar o que não devemos fazer no Japão? Passamos muito tempo sonhando com a tão amada terrinha, imaginando o quão perfeita ela é e as diferenças em relação ao Brasil, que esquecemos que estamos falando de suas culturas extremamente diferentes em vários aspectos. Com essa postagem, quero mostrar a vocês que muitas das coisas que fazemos aqui, e que nos parecem tão naturais, tem um significado completamente diferente no Japão e não são lá muito bem vistas. É interessante nos inteirarmos no assunto para quando formos fazer uma visitinha e é super válido dar uma olhada nesses itens até à título de curiosidade. Vamos lá?


1. Abrir a porta para convidado conseguir sair de casa na hora de despedida
Ao contrário do costume brasileiro, quem convida um amigo para sua casa não deve abrir a porta para ele na hora da despedida, pois esta gentileza dá impressão de que quem convidou quer que o outro vá embora o mais rápido possível. Estranho, não é? Sendo assim, o convidado precisará abrir a porta com sua própria mão na hora de ir embora, assim ele terá embora por sua própria vontade.

2. Visitar a casa do amigo sem levar nenhum presente
Quando visitar a casa de um amigo, você deve levar alguns presentinhos tais como doces, bolos, salgadinhos (nada muito caro), como forma de educação. Quando os dois são estudantes, não há necessidade de fazer isso. (ou seja, sempre se passe de estudante! -nn). Porém, quando os dois são adultos, é recomendado levar alguns presentes. E quem convidou precisará oferecer comidas e bebidas, tais como doces, bolos e salgadinhos na sua casa, com o objetivo de agradar os convidados. Detalhe: não pode oferecer aquela comida que o amigo trouxe como presente, pois é considerado falta de educação.

3. Falar “tim tim” na hora de brindar
Como uma atriz brasileira já comentou no programa do Jô Soares, se não me engano, “tim tim” é aquela coisa de homem. Portanto, não se deve dizer isso em nenhum momento lá no Japão. Em vez disso, o que o certo é falar é “Kanpai” (saúde) em japonês. Acho que a maioria de vocês já sabe sobre isso, mas é sempre bom lembrar, né?

4. Perguntar a idade para mulheres que parecem ter mais de 25 anos
Acredito que trata-se de uma regra, de certa forma, universal, mas vamos frisar aqui já que as japonesas são bem vaidosas e se preocupam demais com sua aparência.

5. Perguntar se tem namorado ou não
Há muitos brasileiros que perguntam ao se ele tem namorada ou namorado já no primeiro encontro, mas isso não é bem visto lá no Japão. Aliás, os japoneses têm a tendência de esconder a existência do seu companheiro o máximo possível (safadinhos!).

6. Morder o sushi e não comê-lo por inteiro
Para os japoneses é uma total falta de respeito mordiscar um pedaço do sushi e comê-lo por partes. Na tradição japonesa deve-se comer por inteiro, de uma vez.

7. Abrir presente na hora de recebê-lo sem que seu amigo não autorize
Aqui no Brasil, quando ganhamos presentes, normalmente os abrimos na frente da pessoa que nos deu, mas no Japão é diferente: quem recebeu presente guarda-o em algum lugar e não o abre na hora para saber o que é, já que é considerado falta de educação. Aliás, quem recebeu o presente precisará dar outro de volta nas outras ocasiões.

8. Elogiar seu(a) namorado(a), esposo(a) e sua família para os amigos
Pela tradição japonesa, as pessoas não devem valorizar e elogiar seus companheiros tais como namorado(a), esposo(a) e família. Esta atitude é considerada exibicionista. No Japão, as pessoas precisam ser humildes, ou seja, se você quiser fazer amigos em vez de inimigos seria melhor apenas apresentar as pessoas, sem exageros.

9. Recusar bebida dada pelo superior na festa
Se quiser promoção na empresa onde você trabalha, seria melhor não recusar bebida oferecida pelo chefe ou pessoa de cargo superior. Caso você o considere uma pessoa chata, ficaria difícil de conseguir promoção posteriormente. Acho que é uma das dicas mais estranhas, já que facilita o assédio no trabalho, mas vai entender!

10. Dar dinheiro cujo número é par no casamento
Os japoneses têm costume de dar dinheiro em várias ocasiões, tais como casamentos, funerais, nascimentos e ingressos de filho na escola primária. O número par pode ser “dividido” (no caso, separado), ou seja, esse número lembraria “separação”, o que não é adequado para festa de casamento, por exemplo. Portanto, quando um convidado oferecer dinheiro para um casal nessas ocasiões, a quantia de dinheiro tem que ser um número ímpar, tais como 70.000 iens, 30.000 iens e 50.000 iens (por sugestão da leitora Nayra Moreira, gostaríamos de esclarecer que a dezena de milhar japonesa é expressada pelo kanji man (万). Sendo assim, 70.000 = 7万, e 7 é ímpar).

Pois bem, pessoas, chegamos ao fim. Sintam-se livres para deixarem dúvidas, sugestões e críticas, procuramos sempre responder aos comentários e nos comunicarmos com vocês. Até a próxima! ٩(•̮̮̃•̃)

0 comentários:

Postar um comentário