1 2 3 4

Uma saga através do SANA 2012

0 comentários

Quem optou por ir ao SANA somente no segundo dia do evento, sábado, talvez tenha notado que foi ligeiramente neutro, exceto pelos ótimos preços dos artigos nos STANDS. Nenhuma atração nova além da área destinada ao K-pop, e as atrações internacionais foram escassas nesta edição. As mesmas poucas salas temáticas e os clássicos animekê e sala de exibição principal, contendo sequências de AMVs e apresentações diversas, marcaram o SANA esse ano. O Maid café estava igualmente lotado como desde a sua criação e pouquíssimos cosplayers foram vistos pelo evento. Contrariamente às outras edições, o que mais chamou atenção foi a área de games, que tem claramente crescido e se expandido à cada ano, e, por conta disso, vem atraindo um público cada vez mais ligado em tecnologia. Mas quem gosta do evento aproveitou do mesmo jeito, e com certeza chegou em casa tão cansado e rouco quanto das outras vezes. Afinal, o que vale é a diversão.


Por conta das poucas novidades esse ano fiquei em dúvida se iria ou não, mas acabei decidindo que sim poucas horas antes. Para começar, como estava sem ingresso, tive que ficar quase uma hora na fila, debaixo de um sol escaldante que me deu manchas vermelhas pelo corpo inteiro e um calor insuportável. O mais legal é que a fila estava monstruosamente grande e muito, mas muito lenta. Eu fiquei surpresa por não haver nenhum cambista àquela hora vendendo ingressos, porque, das outras vezes, mesmo quando você já tinha, eles brotam feito baratas tentando te empurrar um. O engraçado da fila do SANA é que você sempre acaba encontrando um conhecido. Até eu encontrei alguns amigos na fila e, depois de uma hora, conseguimos finalmente nossas pulseiras e entramos.

A minúscula fila do SANA


A primeira coisa que eu pensei em fazer depois de entrar foi correr para área dos STANDS onde tinha um ar condicionado maravilhoso, mas meus amigos não estavam muito afim de andar. Eles estavam ansiosos para entrarem na sala de exibição principal, onde a maior parte dos frequentadores gosta de ficar. Eu nunca entendi o propósito de passar um evento de anime inteiro dentro da sala de exibição vendo animes que passam todo ano e apresentações de cosplays não muito originais, com um monte de coisas legais para comprar nos STANDS e áreas do evento onde há muito para ver e conhecer. Eu detesto ficar parada, então decidi que ficaria batendo perna mesmo se fosse sozinha. Para a minha sorte, foi exatamente nesse momento que Malt e Joe, redatores aqui do site, me ligaram dizendo que estavam quase entrando (eles também passaram pela fila, que, a essa altura, já estava menor). Quando eles entraram, demos uma rápida olhada nos STANDS e eles me arrastaram até a tal Arena K-pop (onde eu, obviamente, não queria ir). A área destinada à música coreana ficava no segundo andar e era bem grande, onde ficava, normalmente, uma parte da área de games nas edições passadas. Confesso que não me senti muito à vontade porque não sou a maior fã de música coreana (aliás, nem maior e nem menor, não sou fã de jeito nenhum) e estava meio deslocada ali. O que me surpreendeu foi a quantidade de homens que haviam lá. Eu, leigamente, acreditava que o maior público da música coreana eram mulheres que gostam de ver homens andróginos vestindo roupas coladas ou abertas dançando alegremente.

Área K-pop
Saindo de lá, visitamos a área de games. Eu fiquei impressionada com o tamanho dessa parte do evento e com a quantidade de consoles disponíveis e pessoas perambulando por lá. Posso afirmar, com certeza, que era a sessão do SANA que prendia mais gente. Haviam telões para jogos, computadores, consoles de diversos tipos disponíveis para jogos livres ou campeonatos, tudo para agradar os nerds de plantão. Em seguida, demos uma passada no bloco G para ver qual banda estava tocando no momento. Por ser um bloco bem grande e com um ar condicionado lindo, muita gente pára lá para dar uma descansada e curtir um bom som.


Tinha um telão e um palco!


Bloco G, para dar uma paradinha e descansar
Demos uma boa volta pelo evento e verificamos cada cantinho antes de decidirmos voltar à area de STANDS. Diferente das outras vezes, eu estava rica com um bom dinheiro e deu para dar comprar alguns artigos bacanas. Como eu disse no início da postagem, os preços estavam especialmente em conta. Comprei três camisetas com preços bem razoáveis e os dois primeiros mangás de Rurouni Kenshin por 15 reais (os volumes eram grossos, não fininhos, e eram dois). Tinha tanto item legal que eu demorei muito para escolher o que ia levar e fiquei arrastando a Malt e o Joe para cima e para baixo, mas, no final, todos compramos o que queríamos. Para finalizar a primeira parte do evento, corremos até a sala de Tokusatsu e vimos Kaizoku Sentai Gokaiger e o clássico Kamen Rider Black RX dublado, que rendeu muita empolgação dos otakus lá dentro da sala por ser uma das séries de Kamen Rider mais queridas. O que eu reparei é que quase não tinham cosplayers perambulando pelo evento e os que eu vi, sinceramente, não eram dos melhores. Salvavam-se dois ou três. Achei isso muito esquisito, afinal, sempre tem cosplays para todo lado que se olhe em qualquer lugar do evento e, dessa vez, não vi mais que meia dúzia. O QUE HOUVE?!


STANDS

Demonstrações de artes marciais
Terminado o evento, nos certificamos de sair cedinho para entrar na fila para o show, a última atração do SANA daquele dia. Eu não estava afim de passar pela mesma situação caótica na fila do show do ano passado, então precaução passou a ser meu nome do meio nesse evento. Estavam programados para se apresentar, inicialmente, Nobuo Yamada, o intérprete de duas das músicas originais de Saint Seiya, e Mika, de Fairy Tail, mas a última teve um problema no visto e acabaram cancelando a apresentação dela dias antes. Eu nem me importei, afinal, só estava lá para ver o Nobuo. E valeu a pena! X-metal abriu a apresentação, como é de costume, e logo depois veio a atração principal: Nobuo Yamada! Iniciou com a clássica Pegasus Fantasy (que eu não achei uma estratégia muito boa) e seguiu com duas ou três também de Saint Seiya. Depois vieram algumas de Tokusatsu (super sentai, mais especificamente) que ele fez nos últimos anos e, para finalizar, Pegasus Fantasy novamente. Foi aquele auê, Nobuo é sempre incrível.

Nana (eu) e Malt

Filinha do show

Eu, feiazinha.



Por fim, anoiteceu e fomos cada qual para sua casa, com a lembrança de um evento que talvez nem tivesse sido tão legal se não estivéssemos juntos. Mas estávamos.

0 comentários:

Postar um comentário