1 2 3 4

[Review] Inuyasha: Feudal Combat

0 comentários
Olá, pessoas! (*~▼~)ノ ハロー元気〜?? Espero que estejam tendo uma ótima noite, porque agora ela está prestes a ficar melhor. Eu, Nana, venho aqui fazer minha primeira review de um jogo Sim, Eiji, comemore! Já me sinto mais nerdinha, o que é muito bom. Não que eu não jogue jogos (nossa, redundância mandou lembrança), mas não sou lá muito qualificada pra falar deles. Já possuí alguns na minha vida, mas se tem alguém aqui com capacidade e experiência pra falar deles é o Eiji, nosso outro redator. O menino conhece tudo! Joguei poucos, se comparado aos que ele jogou, mas decidi me aventurar e fazer uma review sobre um jogo super bacana que eu conheço há um bom tempo, mas que só comecei a jogar da metade do ano passado. É um jogo pra PS2 lançado em 2005 baseado em um anime super famoso. Sabem qual é? Não? Pois conheçam Inuyasha: Feudal Combat!
Criado e distribuído pela Bandai em agosto de 2005, Inuyasha: Feudal Combat (犬夜叉 奥義乱舞, InuYasha: Ōgi-Ranbu) é extremamente fiel à série onde foi baseado, de Rumiko Takahashi, inclusive em relação aos armamentos, movimentos e habilidades dos personagens.


A série original conta a história de Kagome, uma estudante colegial da era atual que, acidentalmente, cai na Sengoku Jidai através de um poço em sua casa e conhece Inuyasha, um hanyou (meio-youkai) que está selado numa árvore há 50 anos por uma flecha sagrada. Ela o liberta num momento de perigo e ele tenta se apossar da Shikon no Tama, uma jóia muito poderosa naquele mundo. Kagome acidentalmente quebra a jóia e espalha seus pedaços pelo mundo, fazendo com que todos, youkais e homens, passem a procurar esses fragmentos que, por si só, já dão muitos poderes aos seus possuidores. Naraku é o vilão e também quer a jóia completa, mas para usá-la malignamente. Durante a jornada dos dois pra juntar a jóia, Inuyasha e Kagome vão conhecendo outras pessoas que se juntam à eles, como Miroku, o monge pervertido, Sango, a caçadora de Youkais, e Shippou, o pequeno youkai raposa.

Essa é a temática da série original, que foi adaptada para o jogo. Agora vamos analisar os quesitos (história, jogabilidade, gráficos, adaptação e especiais) um a um...

  História  

A história original de Inuyasha foi muito bem abordada no jogo. Os conflitos entre certos personagens foram mantidos, as "frases tema" também. Os vários períodos do anime/mangá estão presentes, como as duas outras formas do Inuyasha (humana e youkai, que eventualmente vão sendo mostradas no evoluir da série) e a derrota de Naraku.
Nota: 10



  Jogabilidade  

No menu inicial, você pode ver várias opções de jogo. Primeiramente temos o Story Mode, que é onde você joga com os personagens uma sequência de fatos que tem a ver com ele. É através desse modo que você desbloqueia outros personagens que podem ser usados no decorrer do jogo e nos outros modos. Seguindo para o Mission Mode, você pode realizar pequenos grupos de missões em vários cenários, como a Floresta Mística e o Túmulo do pai de Inuyasha. E, por último, temos o Battle Mode, que é onde acontecem as tradicionais lutas um contra um (ou dois contra dois ou dois contra um). Você só é capaz de controlar seu parceiro indiretamente, já que o computador é quem faz a maior parte. Os criadores apostaram num jogo simples, mas com possibilidades secretas que o jogador vai descobrindo à medida que vai avançando, pois a maioria dos golpes é bem simples (não precisa de mais que um botão) e tem apenas um golpe especial (com direito à ceninha se ele for acertado com sucesso).Mas se tem uma coisa que acredito que ficou precária foi o personagem ter liberdade pra se locomover livremente pelo cenário e mirar onde quiser (ou em quem quiser), porque você é meio forçado a acertar sempre na mesma pessoa (o adversário que está em primeiro plano). E tudo o que você faz é direcionado a ele! Pecou aí.
Nota: 7,5

  Gráficos  

Diferente do jogo pra PS1, Inuyasha: Feudal Combat vem em formato 3D e recria cenários tirados direto da série, cenários esses como A Floresta Mística (onde Inuyasha ficou selado por 50 anos) e o túmulo de seu pai. O bacana desses cenários é que cada um trás dificuldades próprias: Em um deles tem pedras suspensas por plataformas bem fracas, no outro você pode ser derrubado de um abismo, e ainda uma centopéia gigante que passeia pelo cenário e te atinge de vez em quando. A Floresta Mística e o túmulo do pai de Inuyasha são ótimos lugares pra se separar duplas (que é um ponto muito importante no jogo), e se, você o fizer, consegue uma grande vantagem. Um dos pontos negativos é que o 3D, por vezes, parece pouco trabalhado, já que de frente o personagem fica muito melhor desenhado, semelhante ao anime, mas de lado ou de costas as texturas que foram usadas pra criar o jogo ficam bem evidentes. Apesar disso, as falas "tema" dos personagens antes de iniciar uma luta trazem à tona um clima divertido e que remete à série.
Nota: 9
( Créditos das imagens: gamespy.com )

  Adaptação  

Assim como mencionei na história, os elementos da série foram muito bem adaptados. Quem conhece Inuyasha com certeza vai se dar melhor no jogo, pois o sistema de duplas favorece personagens que já possuem uma boa relação (como Inuyasha e Kagome, Sango e Miroku e outros), de modo que a afinidade entre as duplas vai crescendo (mais sobre isso no próximo tópico Especiais) à medida que o combate vai evoluindo. Até os golpes característicos de cada um estão no jogo, como a Kaze no Kizu de Inuyasha e o Kazaana de Miroku. Dessa forma, a adaptação aconteceu sem muitos problemas.
Nota: 10


  Especiais  

Há duas coisas bacanas que quero mencionar aqui. A primeira é que o sistema de duplas não se trata somente de escolher um parceiro e ele dar uns golpes aqui e ali. Na verdade, é importante que você escolha um parceiro que tenha a ver com seu personagem, pois isso vai favorecê-lo várias vezes durante o combate. Inclusive, a cada ponto que você marca (separando a outra dupla, ou acertando-os várias vezes) aparece uma seta vermelha em cima do seu personagem e do seu parceiro apontando pra cima, que significa que a afinidade entre eles está aumentando (do mesmo modo o contrário, a seta azul pra baixo indica que a afinidade está baixando). Quando isso acontece várias vezes, e atinge o ponto máximo, você e seu parceiro são envoltos por um aura vermelha e nos 10 segundos seguintes vocês podem realizar um golpe especial em conjunto, com direito à cena interativa e tudo mais. Legal, não?
A outra coisa é que há quatro formações (os losangos que ficam perto da barra de HP) pra cada personagem e cada uma beneficia uma habilidade: A do vento privilegia os golpes em dupla, isto é, seu companheiro tentará colocar golpes depois de você. A do fogo faz com que o parceiro tente acertar o máximo de golpes com quem estiver lutando. Fazer dividir a dupla adversária é o objetivo da formação da floresta e a da montanha transforma seu parceiro num escudo-humano. Dominar bem essas formações pode te ajudar durante o combate.
Nota: 10

E, de bônus, aqui está um video de um combate entre o Inuyasha Youkai e Sesshoumaru, seu irmão mais velho. Espero que curtam!




Gostaram? Demorei muito pra fazer essa review (não sou muito boa analisando jogos), mas espero que ela tenha ficado de acordo e tenha feito vocês entenderem um pouquinho do jogo e da série. Somando as notas eu cheguei ao seuginte resultado:

  9,3  
 
Lembrando que vocês sempre podem discordar das minhas notas nos comentários, hein? Prometo ouvi-los com carinho. Não esqueçam de participar do sorteio aqui do site e concorrer aos dois primeiros volumes de Samurai Champloo, ainda dá tempo!

Kissu :3

0 comentários:

Postar um comentário