1 2 3 4

Censura: Sim ou não?

0 comentários
Venho inaugurar a sessão de debates pondo em pauta uma questão super polêmica que nos afeta, amantes de animes e mangás. No dia 15 de dezembro do ano passado foi aprovada, pela Assembleia Metropolitana de Tóquio, o projeto de lei 156 (originalmente Tōkyō-to shōnen kenzen kakusei, Ata para Desenvolvimento Saudável dos Jovens de Tóquio), que visa manter controle sobre as publicações de animes, mangás e games e censurar obras que contenham temas considerados "ofensivos aos jovens", já que grande parte do público-alvo são crianças e adolescentes. O intuito disso é desencorajar publicações que contenham esses temas, como sexo, violência, apologia à pedofilia, incesto e homossexualismo. O que nós queremos saber é o que você acha da exposição desses conteúdos livremente. Vamos debater!

LEI ANTI-OTAKU: A SETENÇA FOI DECIDIDA!
O projeto de lei 156 foi bolado em março do ano passado pelo governador metropolitano de Tóquio, Shintarō Ishihara. O objetivo era manter controle sobre o uso de imagens de crianças em obras que continham referências, alusões ou mesmo cenas explícitas de forte apelo sexual. Ou seja, censurar todo o conteúdo de animes e mangás que seria exibido na província. Alguns dos pontos que a lei mais dá enfâse é a da não exibição de conteúdo que explicite atos sexuais considerados ilegais na vida real ou entre parentes que não podem se casar, que glorifiquem a violência e a sexualidade de forma desnecessária e que representem um risco para a formação das crianças e dos jovens. A lei deve ser aplicada a qualquer personagem, independente da idade, e dá ao governador metropolitano de Tóquio total poder pra banir qualquer obra que ele considere dentro dos padrões descritos acima.
É pra evitar esse tipo de coisa que essa lei foi criada (o que é uma pena)


O GOVERNADOR...
O causador de tudo isso
Shintarō Ishihara (30 de setembro de 1932) é governador de Tóquio desde 1999, eleito pelo Partido Liberal Democrata. Em entrevista, ele soltou comentários que atiçaram ainda mais os otakus. “Se a pessoa que possui esse gosto quiser ler ou desenhar este tipo de coisa e ficar excitado com isso, por mim tudo bem. Contudo, eu não acho que as sociedades orientais iriam tolerar isso por muito tempo. O Japão tornou-se muito desinibido. Mas, vocês sabem, esta coisa é anormal, não é?”, começou. Ainda completou com “Eu somente aprovei esta lei porque era sobre não expor estas coisas para crianças. Está claro que existem pervertidos neste mundo. Pessoas tristes com o DNA deformado”. Um detalhe interessante (retirado da matéria feita pela Rádio Blast! em dezembro do ano passado), é que o próprio Ishihara é autor de romances que envolvem estupro e sexo com menores, como é o caso de Taiyō no Kisetsu, de 1995.

AS CONTRADIÇÕES E O IMPACTO...
Saeko diva
É esperado que muito do conteúdo publicado em Tóquio seja modificado e censurado. Muitas séries podem vir a ser canceladas, e outras, que seriam relançadas, também poderão perder esse direito, como é o caso de High School of the Dead, que foi a primeira cotada pra ser vetada (e todos nós sabemos porque, né?). Um dos pontos importantes a serem mencionados é que muitos mangakás afirmam que essa censura compromete o "gênio criativo" deles, restringindo até onde eles podem criar e desenvolver. Mas o que mais indigna os leitores e apreciadores das obras é que essa lei só será aplicada aos animes e mangás, e não aos filmes e séries. O governo está sendo muito criticado por isso, sob o argumento de que seria muito mais difícil aprovar essa lei se ela também se aplicasse a produções maiores, gerando uma repercussão muito maior e tremendamente mais negativa pra ele. Algumas das séries que seriam censuradas são High School of the Dead, Seikon no Qwaser, Aki Sora e as publicações do gênero yaoi (que trazem conteúdo homossexual, explícito ou não). Outro ponto muito comentado é que a própria lei é muito vaga, em suas afirmações ela simplesmente não deixa claro o que vai entrar dentro das especificações e o que não vai. "Prejudiciais para o correto desenvolvimento da sexualidade" é muito subjetivo, gerando diversas interpretações pra cada pessoa que é exposta a essa lei. Sexualidade, por exemplo, nesse caso, se refere à heterossexualidade, já que o próprio governador Ishihara declara que os homossexuais também tem "DNA deformado" e, como dito acima, obras que façam apologia ou alusão a isso também sofrerão os impasses.

O QUE REALMENTE ACONTECEU...
Pesquisei muito na internet sobre esse assunto, procurando notícias e comentários recentes sobre essa lei e o que de fato aconteceu. Porque, até agora, não senti falta de nenhuma publicação. Inclusive, a segunda temporada de Seikon Qwaser não foi censurada, HOTD não foi cancelado e outras publicações não sofreram censuras tão consideráveis assim. O que me chegou aos ouvidos (graças ao Eiji, que estava pesquisando isso junto comigo <3) foi que a maioria desses animes sofreu uma mudança de horários na televisão, e alguns só serão disponibilizados em DVD (como é o caso de HOTD). A não ser que as coisas estejam se modificando muito vagarosamente, quase não há mudanças. Outro fator a se considerar é que essa lei só se aplica à província de Tóquio, ou seja, nem todo o país está sujeito à ela.
Yaoi também está na lista do que seria terminantemente vetado
A QUESTÃO...
O que vamos debater aqui hoje não é essa lei, ela foi apenas um dos atos, dentre muitos que já ocorreram no mundo, que visam ter controle sobre um tipo de conteúdo a ser divulgado numa área. O tema do nosso debate é a opinião de vocês, leitores, sobre a exposição desse tipo de conteúdo livremente. Você concorda com a censura, como um todo? Ou acha que tudo deveria ser exposto, e cada um deveria ter o bom senso de saber o que quer ou não ver? Que solução você apontaria para as empresas que são afetadas com esse tipo de medida? Você acha que exibir conteúdos assim prejudica as pessoas? Ou as conscientiza e as alerta para o que de fato acontece na sociedade, embora ela tente esconder ou ignorar? Acha que é alienação? Considera que, mesmo que o Japão vete todo esse conteúdo literalmente como está na lei, outros países poderiam suprir essa demanda, como o Brasil, por exemplo? Deixo a palavra com vocês.

Kissu :3

0 comentários:

Postar um comentário