1 2 3 4

Yui e seu novo single "fight"

0 comentários

Olá, pessoas bonitas! Devido a alguns desentendimentos internos, eu serei, daqui para frente, a única responsável pela coluna Expresso Musical. Espero a paciência de vocês, já que tentarei fazer o máximo de postagens por semana. Mas deixando as explicações de lado, vamos ao nosso bate papo de hoje! Creio que a maioria de vocês conhece ou já ouviu falar da cantora YUI, apesar de ainda não termos feito uma matéria especial sobre ela ainda, mas recentemente saiu o mais recente single da cantora chamado "fight". Esse post será dedicado a explanar alguns pontos de vista sobre ele especificamente, mas falaremos um pouquinho da YUI para deixá-los mais situados, certo?

Pois bem, Yui canta, toca violão, guitarra e piano e também compõe as suas próprias canções. Apesar de não ser tão conhecida fora do Japão como é lá dentro, ganhou certo reconhecimento internacional com a canção "Life" e a canção "Rolling Star", ambos presentes na quinta temporada da popular série de anime Bleach. Também apareceu recentemente no anime Fullmetal Alchemist Brotherhood com a música "Again". A meu ver, porém, ela possui um talento muito maior do que o mostrado pelas músicas de anime, até porque aprecio muito mais as músicas dela sem nenhum vínculo com os mesmos. o single parece bastante com o albúm From Me to You, traz uma sonoridade leve mas ao mesmo tempo doce, bem ao estilo YUI, recheando a letra com passagens de força e coragem, além daquele sempre presente aspecto positivo e um clipe muito fofinho e impecavelmente irressistível! Sem esquecer da linda voz da cantora que não deixa a desejar em nenhum momento, com um refrão que simplesmente não sai mais da cabeça. Bom, deixarei que vocês mesmos comprovem!


 Invasão da Nana  Depois de ouvir essa linda canção da Yui (sim, gente, também tenho meu lado kawaii desu), resolvi procurar mais informações no youtube e achei um video que mostra a Yui cantando Fight ao vivo numa escola. A reação das pessoas quando ela chegou foi tão contagiante que até eu me empolguei! O video também mostra um pouco da vida da Yui, como ela compõe, e passagens de apresentações passadas que ela já fez. É bem bonito!


É isso, meus lindos! Até mais tarde (ノ⌒▽⌒)ノ♥
Leia a postagem completa »

10 coisas para não se fazer no Japão

0 comentários
Oi, gente! Tudo bom com vocês? Resolvi dar uma breve passada pra trazer uma postagem super interessante. Vocês já pararam para se perguntar o que não devemos fazer no Japão? Passamos muito tempo sonhando com a tão amada terrinha, imaginando o quão perfeita ela é e as diferenças em relação ao Brasil, que esquecemos que estamos falando de suas culturas extremamente diferentes em vários aspectos. Com essa postagem, quero mostrar a vocês que muitas das coisas que fazemos aqui, e que nos parecem tão naturais, tem um significado completamente diferente no Japão e não são lá muito bem vistas. É interessante nos inteirarmos no assunto para quando formos fazer uma visitinha e é super válido dar uma olhada nesses itens até à título de curiosidade. Vamos lá?


1. Abrir a porta para convidado conseguir sair de casa na hora de despedida
Ao contrário do costume brasileiro, quem convida um amigo para sua casa não deve abrir a porta para ele na hora da despedida, pois esta gentileza dá impressão de que quem convidou quer que o outro vá embora o mais rápido possível. Estranho, não é? Sendo assim, o convidado precisará abrir a porta com sua própria mão na hora de ir embora, assim ele terá embora por sua própria vontade.

2. Visitar a casa do amigo sem levar nenhum presente
Quando visitar a casa de um amigo, você deve levar alguns presentinhos tais como doces, bolos, salgadinhos (nada muito caro), como forma de educação. Quando os dois são estudantes, não há necessidade de fazer isso. (ou seja, sempre se passe de estudante! -nn). Porém, quando os dois são adultos, é recomendado levar alguns presentes. E quem convidou precisará oferecer comidas e bebidas, tais como doces, bolos e salgadinhos na sua casa, com o objetivo de agradar os convidados. Detalhe: não pode oferecer aquela comida que o amigo trouxe como presente, pois é considerado falta de educação.

3. Falar “tim tim” na hora de brindar
Como uma atriz brasileira já comentou no programa do Jô Soares, se não me engano, “tim tim” é aquela coisa de homem. Portanto, não se deve dizer isso em nenhum momento lá no Japão. Em vez disso, o que o certo é falar é “Kanpai” (saúde) em japonês. Acho que a maioria de vocês já sabe sobre isso, mas é sempre bom lembrar, né?

4. Perguntar a idade para mulheres que parecem ter mais de 25 anos
Acredito que trata-se de uma regra, de certa forma, universal, mas vamos frisar aqui já que as japonesas são bem vaidosas e se preocupam demais com sua aparência.

5. Perguntar se tem namorado ou não
Há muitos brasileiros que perguntam ao se ele tem namorada ou namorado já no primeiro encontro, mas isso não é bem visto lá no Japão. Aliás, os japoneses têm a tendência de esconder a existência do seu companheiro o máximo possível (safadinhos!).

6. Morder o sushi e não comê-lo por inteiro
Para os japoneses é uma total falta de respeito mordiscar um pedaço do sushi e comê-lo por partes. Na tradição japonesa deve-se comer por inteiro, de uma vez.

7. Abrir presente na hora de recebê-lo sem que seu amigo não autorize
Aqui no Brasil, quando ganhamos presentes, normalmente os abrimos na frente da pessoa que nos deu, mas no Japão é diferente: quem recebeu presente guarda-o em algum lugar e não o abre na hora para saber o que é, já que é considerado falta de educação. Aliás, quem recebeu o presente precisará dar outro de volta nas outras ocasiões.

8. Elogiar seu(a) namorado(a), esposo(a) e sua família para os amigos
Pela tradição japonesa, as pessoas não devem valorizar e elogiar seus companheiros tais como namorado(a), esposo(a) e família. Esta atitude é considerada exibicionista. No Japão, as pessoas precisam ser humildes, ou seja, se você quiser fazer amigos em vez de inimigos seria melhor apenas apresentar as pessoas, sem exageros.

9. Recusar bebida dada pelo superior na festa
Se quiser promoção na empresa onde você trabalha, seria melhor não recusar bebida oferecida pelo chefe ou pessoa de cargo superior. Caso você o considere uma pessoa chata, ficaria difícil de conseguir promoção posteriormente. Acho que é uma das dicas mais estranhas, já que facilita o assédio no trabalho, mas vai entender!

10. Dar dinheiro cujo número é par no casamento
Os japoneses têm costume de dar dinheiro em várias ocasiões, tais como casamentos, funerais, nascimentos e ingressos de filho na escola primária. O número par pode ser “dividido” (no caso, separado), ou seja, esse número lembraria “separação”, o que não é adequado para festa de casamento, por exemplo. Portanto, quando um convidado oferecer dinheiro para um casal nessas ocasiões, a quantia de dinheiro tem que ser um número ímpar, tais como 70.000 iens, 30.000 iens e 50.000 iens (por sugestão da leitora Nayra Moreira, gostaríamos de esclarecer que a dezena de milhar japonesa é expressada pelo kanji man (万). Sendo assim, 70.000 = 7万, e 7 é ímpar).

Pois bem, pessoas, chegamos ao fim. Sintam-se livres para deixarem dúvidas, sugestões e críticas, procuramos sempre responder aos comentários e nos comunicarmos com vocês. Até a próxima! ٩(•̮̮̃•̃)
Leia a postagem completa »

O mensageiro dos Deuses

0 comentários
Boa tarde, passageiros! Já faz algum tempo que assisti um anime chamado Juuni Kokuki (The Twelve Kingdoms), que eu amei de paixão. A história acontece em um mundo que parece ser uma dimensão paralela a que vivemos e cada reino é governado por um rei e um Kirin. Hoje me deu vontade de assistir novamente, assisti apenas alguns episódios os que meus personagem favoritos mais aparecem. Bom, esses personagens são animais mitológicos que são semelhantes a unicórnios, mas eles também possuem uma forma humana. Resolvi pesquisar um pouco sobre eles e descobri que existe uma lenda por trás, e é ela que vou mostrar pra vocês a seguir...


O Kirin é uma criatura mitológica e não está presente apenas na cultura japonesa, ele também aparece na cultura chinesa. Kirin significa girafa em japonês, apesar de ele não se parecer nada com uma, e seria algo como uma quimera: segundo as lendas, ele tem o corpo de um veado, escamas, cauda de boi, cascos de cavalo e chifre como o de um unicórnio. Algumas lendas dizem que ele tem cabeça de leão, outras de dragão, e ainda que é envolto por chamas e que pode cuspi-las também, além de ser capaz de comunicar-se por telepatia e, se for capturado, se matará.

O Kirin é um animal bom e que tem grande respeito pela vida, sendo considerado um "mensageiro dos deuses". Dizem que o Kirin habita o paraíso e de lá ele sai para proteger as pessoas de coração puro e punir os maus. Ele representa a bondade, a paz e a longevidade. Há lendas que falam que Kirins aparecem quando um grande líder está para nascer ou quando o início de uma nova era está para começar, sendo ela boa ou ruim para humanidade, e que aparecem a cada mil anos para um humano.
Além de Juuni Kokuki, existem outros animes que fazem referência ao Kirin,  como Tsubasa: Reservoir Chronicles, por exemplo.

Espero que tenham gostado, e me perdoem por essa postagem tão curta, mas estou em época de prova na faculdade isso está me consumindo muito tempo. Fica também a minha dica para vocês assistirem Juuni Kokuki, é um ótimo anime!

Juuni Kokuki


Até mais, pessoal!
Leia a postagem completa »

Hatenaki Bōken Spirits! Gōgō Sentai Bōkenjā!

0 comentários
Boa noite, passageiros! Gostaram da postagem da Gueh sobre as tão amadas sakuras? É curioso como estamos constantemente em contato com elas, sejam nomeando personagens de séries nipônicas ou enfeitando as ruas de algumas cidades brasileiras, mas sabemos tão pouco sobre sua história e os fatos interessantes que as cercam. Na postagem em questão, a gente aprende um pouquinho sobre a história da árvore, a significação que os japoneses atribuem a ela e o conceito do Hanami, a famosa apreciação da flor no equinócio da primavera.

E como pôr coincidência (ou não!), estou aqui hoje para falar de uma série japonesa que tem sua própria Sakura, e esta, ao contrário da flor, não está para brincadeira! Junto de seus companheiros, ela se aventura pelo Japão em busca de itens preciosos para a humanidade, muitas vezes esquecidos, que, quando caem em mãos erradas, acabam causando uma confusão dos diabos. Quem adivinhar de que série estou falando ganha um biscoito Scooby, hein? Não sabem? Trata-se de Gogo Sentai Boukenger!


Gogo Sentai Boukenger (轟轟戦隊ボウケンジャー Gōgō Sentai Bōkenjā) é o 30º (trigésimo) Super Sentai produzido pela Toei Company, um estúdio japonês responsável pela produção de vários filmes, séries (especialmente Tokusatsus) e animes, e foi o primeiro a ser transmitido em HDTV. Estreou no Japão em 2006, através da TV Asahi, e à título de curiosidade, deu origem à série americana Power Rangers Operação Ultraveloz.

Conforme sempre é explicado antes da abertura, em qualquer lugar do mundo existem aventureiros buscando os maiores tesouros da humanidade e, para não caírem nas mãos de pessoas má intencionadas, a Fundação SGS (Search Guard Successor) possui uma equipe especial de guerreiros que tem a missão de coletar esses tesouros (denominados Precious) e guardá-los para que não sejam usados para o mal. Essa equipe, entitulada Boukenger (do japonês aventura), é composta por membros com características e personalidades bem distintas entre si, mas que são unidos pelo emoção da aventura e o desejo de proteger as pessoas. Estão sempre batendo de frente com os Negative Syndicates, que tentam insistentemente obter os Precious para usar em seus planos malignos de destruir a Terra.

O primeiro episódio começa mostrando Bouken Yellow e Bouken Black sendo testados numa missão pelos membros mais antigos do grupo, Bouken Red, Bouken Blue e Bouken Pink, para integrarem os Boukengers. Ao encontrarem o primeiro tesouro, o Coração de Gōdom, nas ruínas da antiga Civilização Gōdom (ゴードム文明 Gōdomu Bunmei), Bouken Black revela que mentiu sobre querer fazer parte dos Boukengers e tomou o Coração para si (Bouken Yellow, apesar de parecer saber do plano, se mostrou contrariada). Ao serem encurralados por Gaja (大神官ガジャ Daishinkan Gaja), o Sumo Sacerdote da cidade que estava adormecido e fora despertado com a entrada dos Boukengers nas ruínas, há uma reviravolta e todos se unem para derrotá-lo e garantir a segurança do Precious. A partir daí, o grupo está formado. Vamos conhecer um pouquinho de cada um...

Satoru Akashi (明石暁 Akashi Satoru) é o Bouken Red e líder do grupo. Sua personalidade é calma, justa e equilibrada, o que faz com que ele seja respeitado pelos demais membros. No passado, quando apenas um aventureiro livre, era conhecido como "A Presa Imortal", aquele que não deixava nenhum tesouro escapar. Passou a integrar os Boukengers depois de perder dois amigos, Kyoko e Masaki, num acidente durante uma escavação. É responsável pelo Gogo Dump e usa a Bouken Javelin. O aventureiro ardente, Bouken Red!

Sakura Nishihori (西堀 さくら, Nishihori Sakura) ocupa o lugar de Bouken Pink e é a segunda na linha de comando, logo abaixo de Akashi. Trata Satoru apenas por "Chefe" e guarda seus sentimentos por ele para si mesma. É fácil perceber que ela é uma pessoa extremamente séria, que não costuma demonstrar emoções e tem o hábito de ser técnica demais, por isso é constamente vista como uma pessoa desagradável e difícil de lidar. Sakura é a herdeira dos Nishihori, uma família rica e tradicional, e fugiu da casa dos pais para se juntar às forças militares japonesas, o que explica sua incrível habilidade com armas e combate físico, bem como sua seriedade quando se trata de trabalho. Foi recrutada por Satoru e decidiu juntar-se a ele para procurar seu próprio tesouro. Dirige o Gogo Marine e usa a Hydro Shooter. A aventureira das profundezas, Bouken Pink!

Masumi Inou (伊能 真墨, Inō Masumi) representa o Bouken Black. Masumi é temperamental e tende a agir irracionalmente, e sua natureza rebelde e anti-herói (fangirls aparecem agora) tende a trazer-lhe alguns problemas, mas suas táticas arriscadas fazem dele um membro valioso para a equipe. Frequentemente enfrenta Yami no Yaiba, da Dark Shadow, que enxerga nele a verdadeira expressão da escuridão. E foi Yaiba também que assassinou os companheiros de escavação de Masumi e o deixou sozinho até que encontrasse Natsuki (Bouken Yellow), resgatando-a quando ela perdeu a memória. Masumi é normalmente uma figura fraterna para Natsuki, mas já se mostrou com ciúme durante alguns episódios. Ele opera o Gogo Formula e utiliza o Radial Hammer como arma. O aventureiro veloz, Bouken Black!

Souta Mogami (最上 蒼太, Mogami Sōta) é o Bouken Blue. No passado, atuou como um espião e dentro dos Boukengers é o especialista na coleta de informações. É também perito em computadores e tecnologia digital. Um pouco arrogante no início, considera Masumi um ladrão (e o próprio Masumi o chama de "ex-espião") e age, por vezes, como uma figura fraterna para Natsuki. Percebendo que seu trabalho como espião feria as pessoas, Souta deixou-o e, futuramente, descobriu que seu tesouro são seus amigos. Comanda o Gogo Gyro e utiliza o Blow Knuckle. O aventureiro das alturas, Bouken Blue!

Natsuki Mamiya (间宫菜月, Mamiya Natsuki) é a Bouken Yellow. Ingênua e boba, costuma referir-se a si mesma na terceira pessoa e não lembra absolutamente nada de seu passado, sendo seu desejo intenso de saber sobre si mesma o motivo que a fez juntar-se aos Boukengers. Possui uma relação muito próxima com Masumi, por tê-la resgatado, mas afeiçoa-se a todos os membros do grupo com o tempo. É sugerido que ela tem visões do futuro (embora muito curtas e reveladas apenas em flashs) e chama Eiji, o Bouken Silver, de "Ei-chan". É revelado próximo ao final da série que seu nome é, na realidade, Lilina, e que ela é a última sobrevivente da Lemuria. Conduz o Gogo Dozer e usa as Bucket Scoopers. A aventureira forte, Bouken Yellow!

Eiji Takaoka (高丘 映士, Takaoka Eiji) se junta ao time como Bouken Silver. Eiji aparece no episódio 17, apresentando-se como o descendente do clã Takaoka, responsável por caçar e destruir os Ashus, e só passa a integrar os Boukengers no episódio 20, depois de relutar muito em aceitar a oferta de Satoru. Eiji é um pouco desleixado e detesta burocracia (motivo que o faz chocar-se com Sakura no episódio 31). Ele é metade Ashu (por parte de mãe) e metade humano, e custa a aceitar seu destino pois acredita que a morte do pai, causada por Gai, foi culpa sua. Por isso, caçar Gai torna-se prioridade em sua vida. Eiji adora legumes crus e é sempre visto mastigando algum. Seu veículo é o Siren Builder (combinação de Gogo Fogo, Airen e Police) e sua arma é a Saga Sniper. O aventureiro brilhante, Bouken Silver!

Hatenaki Bōken Spirits! Gogo Sentai, Boukenger!
Infinitos espíritos aventureiros! Gogo Sentai, Boukenger!

São tantos personagens legais que é até difícil você escolher qual deles gosta mais! Cada qual tem uma personalidade e maneira de ver o mundo distintas, o que os torna muito mais interessantes em conjunto. A personalidade da Sakura, por exemplo, é exatamente oposta à da Natsuki, enquanto que a do Masumi é muito semelhante à do Eiji. Além de ter de lidar com o Sindicato Negativo, que tenta constamente se apossar dos Precious, os Boukengers precisam lidar com eles mesmos, com suas diferenças e semelhanças, pois isso interfere diretamente na dinâmica da equipe. Eles adquirem respeito e confiança um pelo outro através das provações que precisam enfrentar ao longo da jornada, fortalecendo seus laços e tornando-os inseparáveis.

Kaze no Shizuka, Yami no Yaiba, Ryoun e Gaja 
Negative Syndicate ( ネガティブ シンジケート Negatibu Shinjikēto) refere-se a todos os núcleos de vilões existentes na série: Civilização Gōdom (ゴードム文明 Gōdomu Bunmei), Tribo Jaryuu (ジャリュウ一族 Jaryū Ichizoku), Dark Shadow (ダークシャドウ Dāku Shadō) e Questers (クエスター Kuesutā). Gogo Sentai Boukenger é a primeira série a conter facções de vilões separadas desde Seijuu Sentai Gingaman, e apesar de trabalharem juntos vez por outra, costumam agir separadamente ao tentar roubar os Precious.

Informações adicionais:

● A série possui 49 episódios;
● Há três filmes relacionados ao Gogo Sentai Boukenger: Gogo Sentai Boukenger The Movie: The Greatest Precious (temporalmente, ocorre entre os episódios 28 e 29), Juuken Sentai Gekiranger vs. Boukenger (crossover entre Boukenger e seu sucessor, Gekiranger) e GoGo Sentai Boukenger vs. Super Sentai (onde o foco volta-se para Eiji como Bouken Silver);
● Aparecem também em Gokaiger e no filme Kamen Rider × Super Sentai: Super Hero Taisen;

Como notas finais, sob o meu ponto de vista, posso dizer que Boukenger é uma das melhores séries de Super Sentais já feitas, pois conta com todos os bons elementos essenciais para uma trama distribuídos de forma harmoniosa. A qualidade gráfica é boa, diferente das primeiras produções do gênero, mas sem ser entupida de efeitos especiais de modo a torná-la artificial, como podemos observar nas séries mais recentes. A atuação também não deixa a desejar, pois todos os personagens comovem, cativam e prendem o público. Super recomendo! Segue um vídeo da abertura da série...


E só para constar, a minha favorita é a Sakura. s2

Kissu ヾ( ´ー`)ノ~ばーい
Leia a postagem completa »